terça-feira, 15 de agosto de 2017

O VENTO SOPRARÁ FEITO UM HINO SOBRE AS FLORES - James Pizarro (Diário de Santa Maria, página 4, edição de 15.08.2017)


domingo, 6 de agosto de 2017

SAMDU-SAMU - autor : Moacir da Rosa Alves

SAMDU-SAMU 

SAMDU-SAMU. Final dos anos 50 inicio de 60 Santa Maria inauguráva o seu Serviço de Atendimento Médico Domiciliar de Urgência.-SAMDU, implantado no país por iniciativa de João Goularte. Um de seus postos situado na Vila Belga a rua Dr.Wauthier numa bela casa branca,quase esquina com a rua Daudt.O então Prefeito de Santa Maria, Sr. Vidal Castilho Dânia sanciona a leiN°611 de o6 de dez de 1957 aprovada pela Câmara para aquisição de medicamentos e outros.. para aquele posto ,que possuía uma ambulância e seu corpo clinico e administrativo chegou a ter mais de uma centena de servidores. Entre eles o 1° enfermeiro o Sr. Alfeu Pizarro pai do ilústre professor James Pizarro que lá também trabalhou na administração. Tendo como 1°médico chefe o Dr.Raimundo Braga, sucedido pelo Dr. Clândio Marques da Rocha,entre tantos renomados médicos que lá prestaram serviços a população os ,Drs. Ronald Bossemeyer, Eugênio Streliaev,Agostinho,Mazza e … O SAMDU á sua época foi um serviço de excelência que possuía como referência ao atendimento pré hospitalar, a Casa de Saúde e o Hospital de Caridade. Demostrando já naqueles tempos a necessidade da referência para atendimento pré hospitalar. Certamente nossa população mais do que duplicou neste período, aumentando em muito as necessidades de serviços médicos para o povo, que busca no SUS nascido em 1988; a cura para suas doenças . Em setembro de 2003,o Ministério da Saúde,através  portaria nº 1864/GM cria o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência-192)já implantado em muitos municípios do Brasil.Engatinha em nossa cidade embora já possua a meses as ambulâncias e tem fisicamente pronta a UPA. Diz a secretaria´de saúde que o serviço estará implantado no inicio de abril será?? Aqueles que puderam assistir o recente debate na TV Santa Maria em seu programa análise Santa Maria em debate, certamente perceberam que á necessária integração não existe entre os setores. Mas foi uma aula ministrada pelo médico dr. Cláudio Azevedo e do médico capitão dos Bombeiros sobre a legislação que é claríssima no sentido da CAPACITAÇÃO , da REGULAÇÂO MÉDICA, da CONCIENTIZAÇÃO da população e da UPA (Unidade de pronto Atendimento)como referência para o atendimento AH e medicamentos!! o SAMDU Tinha ambos há 50 anos ! E então quando vem o SAMU?!!  Inicia Hoje 20 de Maio de 2010 nosso SAMU ,desejo sucesso a toda equipe e empenho especial no atendimento de nossa população! .Att, Dr Moacir
SAMDUSAMDU
BENVINDO SAMU!!BENVINDO SAMU!!

REVIVENDO O CAMPUS | TEMP. 1 EP 01 | JAMES PIZARRO

terça-feira, 1 de agosto de 2017

A ESPADA DOS CÉUS CONTRA OS CANALHAS ! - James Pizarro (Diário de Santa Maria, edição de 01.08.2017)


Nos últimos dias fui a seis velórios. Acompanhei seis enterros. Queridos amigos meus. Alguns deles amigos há de mais de cinqüenta anos. Contemporâneos de universidade. Pensei até em citar os nomes de todos. Fazer uma síntese de suas vidas. Como forma de homenagem derradeira. Uma forma de lembrar aos familiares que foram importantes. Numa época de corações duros. De memórias fracas. Onde as instituições e as pessoas olvidam dos outros em menos de semana. Esses amigos – ao cabo de tudo – ficarão vivos no coração de suas viúvas. De algum filho mais sensível. Um netinho mais chegado. No coração do cronista patologicamente chorão.
Mas desisti de falar sobre a vida particular de cada um. E resolvi lembrar o assunto que mais falávamos em nossas conversas. Tanto no calçadão. No cafezinho. Nas filas da lotérica. Nos bancos da praça. O assunto preferencial de nós todos acabava sendo sempre o Brasil. A situação do país. Os políticos. A corrupção. Os escândalos sem fim. A Lava Jato. Os cargos de confiança. As assessorias.
Os meus amigos morreram sem saber que as universidades federais brasileiras só têm verbas até setembro. E que já estão demitindo funcionários. Extinguindo bolsas de ensino e de extensão. Gente da portaria, copa, garagem, jardins. Na UFSM já demitiram mais de meia centena de vigilantes.
Os meus amigos – alguns deles funcionários públicos federais – morreram sem saber que o (des)governo federal está planejando dar um calote e adiar para o segundo semestre do ano que vem o aumento prometido para algumas categorias, já que outras foram esquecidas.
Os meus amigos morreram sem saber que os ministros do governo já realizaram este ano (até segunda-feira, dia 24.07) 1112 viagens em jatinhos da FAB, que fazem parte do chamado GTE - Grupo de Transporte Especial, responsável pelas viagens de autoridades no Brasil.
Os meus amigos morreram sem saber que o “Impostômetro” registrou até a semana passada o recolhimento recorde de impostos no Brasil : este ano o nosso povo já pagou para o governo 1 TRILHÃO E 400 BILHÕES DE REAIS !!!
Os meus amigos morreram sem saber que a gasolina subiu de novo, um juiz mandou baixar mas o governo federal recorreu e prontamente ela subiu de novo ! E que agora virá a ciranda de aumentos de passagens de ônibus, taxis, fretes.
Os meus amigos morreram sem saber da pesquisa do IBOPE que deu um percentual de aprovação ao presidente de apenas 5 %.
Os meus amigos morreram sem entender como arrecadam tanto imposto nesta fúria tributária – alegando faltar dinheiro em caixa – e abrem os cofres do Brasil para as emendas dos parlamentares às vésperas da votação que decidirá o futuro do presidente.
Os meus amigos morreram na esperança de ver um Brasil feliz. A maioria deles não tinha partido, assim como eu. Calejados. Aposentados. Céticos. Contavam apenas com a esperança. A fé. O desejo íntimo de que surja um milagre.
Os meus amigos morreram acreditando que a espada dos céus vai se abater sobre os canalhas.
Que Assim Seja !

terça-feira, 18 de julho de 2017

SALÃO VENITO : O CLIENTE ENTRA FEIO E SAI BONITO ! - James Pizarro ( crônica no Diário de Santa Maria, edição de 18.07.2017)


Há muitas décadas acompanho o nascimento e desaparecimento dos salões em nossa cidade. Entenda-se “salões” como os locais de trabalho dos barbeiros. Estes dedicados profissionais que tratam, prioritariamente, dos cabelos e barba masculinos. Falo “prioritariamente” porque existem senhoras idosas e também mocinhas que são clientes e  pedem cortes bem masculinos, curtinhos.

Lembro de dezenas de salões de Santa Maria. Um que funcionava na gare da Viação Férrea na época áurea dos ferroviários. Outro no início  da avenida Rio Banco que atendia aos viajantes  hospedados nos hotéis e pensões. Outro no Círculo Operário, perto do Bispado. Mais um em frente ao Regimento Gomes Carneiro. Outro ao lado da quadra do Atlético, na André Marques. O Salão  Lord, na Primeira  Quadra (hoje, calçadão).

Mas o mais antigo de todos, ainda em pleno funcionamento, onde vou diariamente bater papo e três vezes por semana para fazer a barba é o famoso SALÃO VENITO. Está localizado na Galeria do Comércio e atualmente os proprietários do ponto são o Roni e a Madalena.

O Salão Venito começou a funcionar em 1953 nas dependências no antigo Hotel Kroeff, localizado onde hoje está  construída a Galeria do Comércio. Mudou-se para sua segunda sede um pouco abaixo da agência central dos Correios. Até que em abril de 1962 se estabeleceu em definitivo onde está, na Galeria do Comércio. Portanto, o salão está em funcionamento há 64 anos !

Conheci dezenas de barbeiros que trabalharam no salão  entre eles o próprio Venito, falecido em 1983, era barbeiro do meu pai. Há poucos meses faleceu o Nelson, que era barbeiro do meu sogro.  Outros que também se foram : Adão, Pedro, Nei, Urias, Laudelino, Álvaro Mendonça.

A equipe atual do salão é composta por sete excelentes profissionais : Amadeo (é o decano, o mais antigo de todos), Julio, Gilmar, Clândio, Francisco, Vilmar e Eduardo (o mais novo integrante da equipe).

O primeiro a chegar todas as manhãs, responsável pela abertura do salão às 6h30, é o Clândio. Providencia na limpeza, água quente, toalhas, lâminas, térmicas e cuia para chimarrão. Porque logo cedo tem uma turma de clientes e amigos que chegam para conversar, saber das novidades do dia e saborear o chimarrão cuja erva é semanalmente rateada por todos.

O Salão Venito têm clientes de dezenas de cidades situadas ao redor de Santa Maria. Profissionais de todos os tipos cortam o cabelo e fazem sua barba ali, alguns desde o tempo em que faziam  seus curso superior quando só existia a UFSM em nossa cidade. Hoje estes mesmos clientes trazem seus filhos e netos para  continuar a tradição.

O barbeiro de certa forma é um terapeuta, um psicanalista, um psicólogo pois - dependendo da situação e do estado emocional do cliente – tem de ouvir, concordar, sugerir, aconselhar, acalmar. Muitos clientes chegam tristes. Outros têm problemas de doença na família. Outros têm problemas econômicos. Outros  estão irritados com a situação econômica, as autoridades, o governo. E o barbeiro tem de ter a palavra amiga. O gesto solidário. Uma palavra de estímulo. Um abraço fraterno. Ou até um silêncio  compreensivo se o cliente estiver de pouca conversa.


E isso tudo tem no Salão Venito !!!

terça-feira, 4 de julho de 2017

AFETOS E QUEIXAS ALIMENTAM A CIDADE - James Pizarro (Diário de Santa Maria, edição de 04.07.2017)



O cronista não tem pretensão outra qual não seja a de partilhar emoções. Contar histórias. Rememorar. Colaborar com os arquivos da cidade. Dizer para alguns moços que o planeta não começou no dia em que eles nasceram. Registrar a memória da sua geração antes que – sem avisar – chegue o canalha do Alzheimer. Ou simplesmente falar sobre o cotidiano. As estações. O humor. O amor.
Os leitores também fazem reivindicações. Abordam na rua. Pelo telefone. Encaminham e-mails. Cartas. Deixam bilhetes. Esperam na portaria na condomínio . Fazem sugestões. Reclamam. Corrigem. Colaboram. Muitos são amigos. Colegas. Vizinhos. Mas a grande maioria é de desconhecidos.
Jamais deixei de atender um telefonema. Ou responder um e-mail ou carta. Ou acatar uma sugestão quando a mesma é pertinente. Ou dar uma explicação quando houve um mal entendido. Ou mesmo um pedido de desculpa no caso de uma grosseria involuntária.
Hoje vou sintetizar e colocar alguns pedidos em dia. O leitor prescreve. O cronista escreve.
Taxistas do Ponto Central, que têm ponto secundário na “boca” da Galeria do Comércio à rua Venâncio Aires queixam-se que o local destinado ao estacionamento dos taxis está quase sempre ocupado por carros particulares e carros fazendo entrega de mercadorias. E quando eles ligam para os guardas da Prefeitura Municipal para tomada de providências (multa e guincho) eles sempre informam que estão ocupados.
Dois professores da UFSM que costumam fazer caminhada (exercício) pela cidade reclamam que as pedrinhas portuguesas que foram usadas na revitalização dos canteiros centrais da av. Rio Branco estão soltas, o piso está cheio de buracos e as pedras, que custaram alto preço, estão amontoadas e sendo roubadas.
Minha crônica “Calçadão agonizante à espera de um socorro que nunca vem”, mereceu envio de atencioso e-mail do meu querido amigo de tantos anos Luiz Gonzaga Binato de Almeida, arquiteto e professor universitário aposentado. Binato concorda com todas as colocações que fiz a respeito da necessidade da “revitalização” do calçadão (termo usado pela Prefeitura) ou “restauro” (termo técnico usado por ele, Binato). Registre-se para a posteridade que o Calçadão de Santa Maria, hoje chamado “Calçadão Salvador Isaia, foi concebido e projetado pelo meu amigo Luiz Gonzaga Binato de Almeida.
Quem vai de carro pela Acampamento e dobra à direita na Pinheiro Machado corre o risco, naquele cruzamento, de ter os órgãos da cavidade abdominal trocados de lugar tal a quantidade de buracos existentes naquela esquina. Urge que se tomem providências naquele local principalmente porque é caminho para o Hospital de Caridade, Hospital Alcides Brum e dezenas de edifícios de consultórios. Qualquer dia uma maca vai saltar de dentro de uma ambulância e sair rolando sozinha pela rua. Ao melhor estilo “pegadinha” de programa dominical de TV.
Quem viver, verá !

terça-feira, 20 de junho de 2017

HUMANÓIDES "ONE-WAY" - James Pizarro

.
Em Ecologia, "one-way" é uma embalagem sem retorno. Geralmente garrafa ou pote de vidro...o consumidor usa o produto e bota fora a embalagem. As pessoas estão sendo tratadas assim também...você é "amado" (kkkkkkk) enquanto é útil aos interesses do "amigo", da empresa, se tem dinheiro, poder, influência, beleza, se exerce cargos...se perdeu essas coisas, é deletado. É bagaço. Laranja que não tem mais suco. Caneta esferográfica que não tem mais carga. Lâmpada que começou a "piscar". O destino é o lixo do esquecimento. Mas se você ganhar a Mega Sena sozinho, prepare-se que todos os antigos "amigos" tentarão voltar. Até aqueles que desfizeram as amizades no facebook. e os que nunca mais responderam seus e-mails. Ou retornaram seus telefonemas. Terá chegado a doce hora de mandar todos TNC !!!